Água potável para nossa saúde

Água potável para nossa saúde

A fórmula química H2O, duas moléculas de Hidrogênio e uma de Oxigênio é a combinação de dois gases que faz o milagre da água. Sem cor, sem cheiro, sem sabor, isenta de micro-organismos nocivos à saúde, pronto. Assim a água cumpriria o seu papel de lavar os restos de nosso metabolismo, conduzir nutrientes e hidratar nosso corpo por dentro e por fora. E só ela nos proporciona a perfeita desintoxicação e nos torna pessoas vitalizadas.

A Lei 13.839/19 incluiu a água potável como item de segurança alimentar e nutricional e prevê medidas que mitiguem o risco de escassez de água potável, passando a ter tratamento estratégico assim como têm os estoques de alimentos. Esforços adicionais necessários e urgentes, vamos todos contribuir.

As companhias de saneamento se empenham para controlar o sabor desagradável, o aparecimento de partículas, remover a cor e/ou sua turbidez, extrair os químicos e minerais dissolvidos, para tanto utilizam variados aditivos químicos: Oxidantes (ozônio, permanganato de potássio, cloro); Coagulantes (sulfato de ferro e alumínio); alcalinizantes (cal, carbonato de sódio); desinfetantes (cloro, ozônio); fluoretantes (ácido fluorsilícico). Nos processos gerais de coagulação, sedimentação, filtração, flotação ou outras combinações. Sabemos que esses procedimentos químicos deixam de considerar questões energéticas, que são vitais, da requerida fórmula H2O. Depois vem a desinfecção da água, ou seja, a eliminação de bactérias patogênicas e a prevenção da sua reprodução e assim fornecer para a população a água isenta de micro-organismos nocivos à saúde, notadamente os biológicos. Nesse combate biológico, ganhamos doses significativas de cloro e flúor em nossas torneiras. Tubulações de ferro das construções oxidam com o passar do tempo e esses metais se acumulam em nosso organismo; da tubulação de plástico comum para água fria emana formaldeídos (composto orgânico volátil (COV) feito a partir do metanol, que é um álcool muito tóxico à saúde) quando aquecida pela temperatura das paredes onde está instalada, em especial nas paredes externas expostas ao Sol. Só aí temos quatro possibilidades de não potabilidade da água após o saneamento, cloro, flúor, metal oxidado, formaldeído. Isso não é pouco diante da nocividade que esses contaminantes representam à nossa saúde. Tomemos a responsabilidade de melhorar o que foi melhorado: Primeiro, usando tubulação adequada para água potável em nossas casas; segundo, usando reservatórios (caixas d’água) de qualidade e com manutenção adequada, livres de toxinas, bem fechados, com limpeza periódica inspecionada; terceiro, instalando filtros para cloro e flúor na saída do reservatório, com isso cuida-se da potabilidade da água para a casa toda: água para beber, cozinhar e higienizar as pessoas, a roupa e a casa, as plantas e os animais.

A molécula de água tem ângulo de 104,45º (hexagonal) na temperatura de 25º, necessário para harmonia do movimento das moléculas de água. Os filtros ligados à energia elétrica com a função de resfriar a água também vão modificar sua estrutura física. Sabemos da importância da água boa em nosso organismo, ela pode representar 70% de nosso peso corporal, compõe cada célula nossa inclusive nosso sangue. Devemos escolher a água que vamos usar, pois tão importante quanto beber água é a que usamos para tomar banho e preparar nossos alimentos. Além de pura nossa água deve ter pH acima de 7,35 (que é o pH do sangue venoso), deve ser leve para fluir pelo nosso corpo, o sangue arterial tem pH 7,4, ligeiramente alcalino, essa condição é necessária para manter nossas células saudáveis, a água é ingrediente fundamental para a manutenção do pH sanguíneo.


Geobiólogos e outros especialistas devem orientar seus clientes para se protegerem das nocividades, porque não basta comprar água mineral em bombonas, nem basta colocar um filtro de torneira sem um estudo satisfatório sobre o tipo do elemento filtrante, sobre o tipo de encaixe do filtro, da vasão da água e do material do reservatório. Em geral os filtros de carvão ativado conseguem eliminar mais de 70% do flúor e do cloro e o reservatório com material mais estável é o vidro, o plástico é complexo para analisar devido a grande variação na composição, o barro deixa gosto na água e o metal modifica a ionização da água. Tão importante quanto esses cuidados é como devolvemos a água usada ao Planeta. Fiquemos ligados aos hábitos de consumo e de descarte da água que sai do esgoto de nossas casas também.

FONTE: Eni Bitencourt dos Santos – Geobióloga

Deixe uma resposta